Novidade é aqui mesmo!

Blog da Tracker

Fique por dentro de tudo que acontece no Universo Tracker - notícias, estudos, ocorrências de roubo ou furto, novidades, lançamentos de produtos e muito mais! Chegou o Blog da Tracker!

ilustração caçador tracker
O Caçador Tracker
July 17, 2020

Qual a diferença entre seguro e proteção veicular?

Qual_a_diferenca_entre_seguro_e_protecao_veicular

Qual a diferença entre seguro e proteção veicular?

Saber qual a diferença entre seguro e proteção veicular é um passo fundamental para decidir qual é a melhor forma para proteger um veículo de possíveis sinistros sem sofrer impactos financeiros inesperados. Rodar sem nenhum tipo de proteção é uma decisão arriscada e que pode comprometer todo o investimento feito no automóvel.

Segundo os dados do Fórum Nacional de Segurança Pública, as estatísticas criminais revelam que 1 veículo é roubado por minuto no Brasil. Além disso, o Relatório Estatístico realizado pela Líder, administradora do Seguro DPVAT, o país registrou 89.028 acidentes de trânsito apenas no primeiro trimestre de 2020.

E realmente existem uma série de distinções importantes e diferenças entre seguro e proteção veicular. Para aqueles que se perguntam se proteção veicular não é seguro, a resposta é não, pois são modelos de atividades bem diferentes. 

Os seguros veiculares são supervisionados por órgãos reguladores e por legislações específicas, enquanto a proteção veicular é feita a partir de contratos de colaboração entre partes, juridicamente falando. Esta é apenas uma das muitas diferenças entre seguro e proteção veicular e a Tracker vai explicar todas elas para você neste artigo.

Qual a diferença entre seguro e proteção veicular? Veja o comparativo

Regulação e fiscalização

Toda seguradora que opera legalmente no Brasil, independentemente de seu segmento (automotivo, residencial, empresarial, vida, entre outros), precisa obedecer às diretrizes da Superintendência de Seguros Privados (Susep). Ela é uma autarquia da Administração Pública em atividade de 1966 e o órgão responsável por autorizar, controlar e fiscalizar o mercado de seguros de todo o Brasil.

A Susep determina, entre outras regras, que as seguradoras criem e apresentes reservas financeiras que garantam o pagamento das indenizações contratadas em apólice aos segurados. Para isso, o segurado paga um prêmio à seguradora (termo usado denominar o valor da contratação do seguro que pode ser pago à vista ou em parcelas).

A proteção veicular funciona de modo diferente. Nesse sistema, quem arca com os prejuízos causados por sinistros são as associações livres. Nelas, todos os participantes do grupo de proteção veicular rateiam custos entre si a partir de cotas mensais pagas associados. 

Por isso, a proteção veicular não é seguro, já que além de não ser regulamentada pela Susep, quem contrata essa categoria de serviço para proteger seu veículo não é um cliente, mas sim um associado que divide as despesas dos sinistros com outros associados.

Contratação

Quem decide pela contratação de um seguro auto recebe uma apólice. Este documento formaliza o valor total das indenizações que serão pagas de acordo com as coberturas contratadas pelo segurado e assim os riscos são assumidos pela seguradora mediante o pagamento do prêmio.

Os valores e coberturas de uma apólice de seguro automotivo vão variar de acordo com uma série de fatores como modelo do veículo, idade do condutor, sua localização e histórico de direção. Para isso a seguradora realiza uma análise do perfil do segurado antes de estipular um valor e assumir os riscos do seguro. Por isso, a presença do corretor nas negociações do seguro é importante para as duas partes.

Já a adesão à proteção veicular é bem menos burocrática. Ao fazer parte de uma associação de proteção veicular não há a elaboração de uma apólice, nem corretores ou a avaliação do perfil do condutor. Geralmente, é feito um Contrato de Responsabilidade Mútua e os riscos são divididos entre as partes. 

O valor das mensalidades de um contrato de proteção veicular para custear o rateio dos sinistros do grupo parte de um valor pré-fixado, que pode variar de acordo com a quantidade de associados. Geralmente, as normas para adesão à proteção veicular, valores a pagar e as regras para recebimento das indenizações por sinistros e cancelamento é regulamentado pela própria diretoria da associação, variando de grupo a grupo.

Custo-benefício

Imagem/Reprodução: Pexels

Os custos para a contratação de um seguro automotivo costumam ser mais elevado do que a participação em uma associação de proteção veicular. Isso acontece porque as seguradoras precisam comprovar suas reservas técnicas e em muitos casos contam com uma resseguradora para garantir o pagamento das indenizações contratadas na apólice.

Além disso, os valores das indenizações pagas pela seguradora são fixados em contrato, assim como o valor da franquia paga pelo segurado para acionar as coberturas do seguro. 

Quem opta pela proteção veicular acaba pagando mensalidades reduzidas em comparação a um seguro automotivo convencional, mas as regras para resgate do dinheiro para arcar com os sinistros são diferentes. 

Vamos a uma situação hipotética: um associado em um grupo de proteção veicular sofre um acidente e precisa de R$ 5.000 reais para realizar todos os reparos em seu carro. Ele pode acessar o fundo mútuo associação para cobrir seus prejuízos. 

Mas, caso valor total disponível no fundo compartilhado para este conserto não seja suficiente, seus custos serão repartidos entre todos os associados. Supondo que a associação seja composta por 50 pessoas, cada um deles deverá arcar com R$ 100,00 para cobrir os sinistros do associado.

Seguro ou proteção veicular? Qual é o melhor?

Agora que você já sabe qual a diferença entre seguro e proteção veicular, a sua decisão deve ser tomada de acordo com suas necessidades. Tudo vai depender de uma autoavaliação dos riscos que seu veículo está exposto e das possibilidades financeiras para contratar uma das modalidades para salvaguardar seu veículo e seu patrimônio. 

Uma boa dica é conversar com corretores de seguro auto e também pesquisar as melhores associações de proteção veicular para ter informações mais detalhadas sobre como fechar o negócio.

E, para qualquer uma das opções, não abra mão de instalar um bom rastreador de veículos aqui na Tracker! Somos autoridade no assunto dentro e fora do Brasil. Atuamos em todo o país e desde o ano 200 já ajudamos a recuperar R$4,4 bilhões em patrimônios.

Fale conosco e conheça nossas soluções para rastrear e proteger seu carro, moto e até frotas inteiras. Oferecemos a melhor tecnologia contra roubo e furto aliada à melhor infraestrutura em recuperação de bens.

Categoria: